Please use this identifier to cite or link to this item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/4275
metadata.dc.type: doctoralThesis
Title: Avaliação do desempenho e estabilidade de sistemas adesivos universais
Other Titles: Performance and stability evaluation of universal adhesive systems
metadata.dc.creator: Cuevas-Suárez, Carlos Enrique
metadata.dc.contributor.advisor1: Piva, Evandro
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Silva, Adriana Fernandes da
metadata.dc.contributor.advisor-co2: Petzhold, Cesar Liberato
metadata.dc.description.resumo: O objetivo deste trabalho, dividido em quatro estudos, foi investigar o desempenho e estabilidade de diferentes adesivos universais. Materiais e Métodos: No estudo 1 foi avaliada, através de uma revisão sistemática da literatura, a resistência de união imediata e a longo prazo de adesivos universais, comparando as técnicas de aplicação: condicionamento total e autocondicionante. O estudo 2 avaliou, através de uma revisão sistemática, a resistência de união in vitro de adesivos universais a diferentes substratos indiretos quando comparados com primers específicos para cada material. Para ambas revisões, dois revisores realisaram uma busca na literatura em oito bases de dados diferentes. Os dados foram extraídos e categorizados e as médias de resistência de união dos grupos considerados foram analisadas no programa RevMan 5.3.5. No estudo 3 foi analisada a viabilidade celular de diferentes marcas de adesivos universais e a sua relação com o tipo e a quantidade de substâncias lixiviadas em função do método de preparo de amostras utilizado. Foram testados quatro adesivos universais. As amostras foram preparadas usando três métodos diferentes: discos de forma cilíndrica feitos do próprio material, discos de papel de filtro impregnados com o sistema adesivo e discos de dentina bovina impregnados com o sistema adesivo. A técnica de ultra-high performance liquid chromatography-quadrupole time-of-flight mass spectrometry (UHPLC-QTOF-MS) foi utilizada para detectar substâncias lixiviadas. A viabilidade celular foi avaliada através do ensaio de proliferação celular WST-1. No estudo 4, diferentes sistemas adesivos foram caracterizados após a simulação de armazenamento (Shelf-life). O tempo de prateleira foi simulado armazenando os materiais em uma câmara climática por diferentes períodos de tempo usando o modelo de Arrhenius. O ensaio de avaliação de resistência de união à microtração (μTBS) foi realizado com base na ISO/TS 11405. O grau de conversão (GC) foi avaliado por meio de espectroscopia no infravermelho por transformada de Fourier acoplado a um dispositivo de refletância total atenuada. A quantidade de nanoinfiltração foi avaliada após identificação de prata amoniacal por intermédio da técnica de microscopia eletrônica de varredura em modo de electróns retroespalhados. Resultados: Para o estudo 1, a evidência in vitro sugere que a resistência de união dos adesivos universais pode ser melhorada usando a estratégia de condicionamento seletivo do esmalte. Os adesivos universais com pH suave parecem ser os materiais mais estáveis, tanto no modo de condicionamento total quanto no modo autocondicionante. Em relação ao estudo 2, pôde ser observado que os procedimentos de adesão em zircônia e resina composta indireta poderia ser mais simples usando apenas o adesivo universal, sem necessidade de um primer específico. Por outro lado, a capacidade dos adesivos universais para obter uma resistência de união adequada e durável em cerâmicas com alto conteúdo de vidro e ligas metálicas é limitada. No estudo 3, de acordo com as evidências obtidas, a quantidade de sistema fotoiniciador lixiviado e o método de preparação da amostra têm um impacto significativo na viabilidade celular. Os resultados do estudo 4 mostraram que todos os adesivos avaliados apresentaram uma alteração significativa no seu desempenho após simulação do tempo de prateleira. De acordo com o protocolo de simulação de envelhecimento acelerado utilizado, para a maior parte dos adesivos avaliados, o período de vida útil estabelecido pelos fabricantes está superestimado. Conclusão: Para o uso em esmalte e dentina, é importante conhecer a categoria do sistema adesivo universal utilizado, com fim de determinar qual é o melhor protocolo de aplicação. Adicionalmente, a capacidade dos adesivos universais de obter uma resistência de união adequada e durável depende do tipo de material restaurador de uso indireto onde eles são aplicados. A interpretação dos resultados dos ensaios in vitro de proliferação celular deve considerar que a biocompatibilidade é afetada também pelo método utilizado. Por fim, a simulação do tempo de prateleira deve ser considerada como uma metodologia de rotina durante o processo de desenvolvimento e caracterização de sistemas adesivos universais.
Abstract: The objective of this work, divided in four studies, was to investigate the chemical- mechanical and biological performance of different universal adhesives. Materials and Methods: In the first study, it was evaluated whether the immediate and long-term bonding performance of universal adhesives would be improved by prior acid etching through a systematic review and meta-analysis. Study 2 evaluated, through a systematic review the in vitro bonding performance of universal adhesive systems to indirect substrates when compared to material-specific primers. For both systematic reviews, two reviewers performed a literature search on eight different databases. The data were extracted and categorized and the means of bond strength of the groups were analyzed using RevMan 5.3.5 program. In study 3, the cell viability of different universal adhesives and its relation with the type and amount of leached substances were analyzed according to the method of preparation of samples used. Four universal adhesives were tested. Specimens were prepared using three different methods: cylindrically shaped discs made from the material itself, filter paper discs impregnated with the adhesive system, and dentine bovine disc impregnated with the adhesive system. The ultra-high performance liquid chromatography-quadrupole time-of-flight mass spectrometry (UHPLC-QTOF-MS) technique was used to detect leached substances. Cell viability was assessed by the WST-1 cell proliferation assay. In study 4, different adhesive systems were characterized after shelf-life simulation. Shelf-life was simulated by storing the materials into a climate chamber for different periods of time using the Arrhenius model. The microtensile bond strength test (μTBS) was performed following the directions of ISO/TS 11405. The degree of conversion (DC) was evaluated by means of Fourier transform infrared spectroscopy coupled to an attenuated total reflectance device. The amount of nanoinfiltration (NL) was evaluated after identification of ammoniacal silver by means of the scanning electron microscopy in backscattered electron mode. Results: For study 1, the in vitro evidence suggests that the bond strength of mild universal adhesives can be improved by using the selective enamel-etch strategy. Mild universal adhesives seem to be the more stable materials, in both etch-and-rinse or self-etch strategies. Regarding study 2, it could be observed that the clinical procedure of luting zirconia and resin composite restorations could be simpler by using the single-bottle universal adhesives. Conversely, the ability of universal adhesives to achieve and adequate and durable bond strength to glass- based ceramics and alloys is limited. Study 3 demonstrated that the amount of photoinitiator system eluted and the sample preparation method seems to be determinant on the cell viability. The results of study 4 showed that the adhesives evaluated showed an significative alteration in their performance with progressive storage time. According to the accelerated aging protocol used, for most of the adhesive evaluated, the shelf-life period established by the manufacturers is overestimated. Conclusion: when using on enamel or dentin, it is important to know the category of the universal adhesive system used, in order to determine which would be the best application method. Additionally, the ability of universal adhesives to achieve adequate and durable bond strength depends on the type of indirect restorative material where they are applied. On the other hand, interpretation of the results of in vitro biocompatibility tests should be done with caution, as they may vary depending on the method for the preparation of samples used. Finally, the simulation of the shelf time should be considered as a routine methodology during the process of development and characterization of universal adhesive systems.
Keywords: Adesão
Adesivos universais
Revisão sistemática
Biocompatibilidade
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA::MATERIAIS ODONTOLOGICOS
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Pelotas
metadata.dc.publisher.initials: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Odontologia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Materiais Odontológicos
Citation: CUEVAS-SUAREZ, Carlos Enrique. Avaliação do desempenho e estabilidade de sistemas adesivos universais. 2018. <185f>. Tese (Doutorado em Odontologia). Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas. 2018.
metadata.dc.rights: OpenAccess
URI: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/4275
Issue Date: 12-Oct-2018
Appears in Collections:PPGO: Dissertações e Teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_Carlos Cuevas-Suárez.pdf11,5 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons