Please use this identifier to cite or link to this item: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/4245
metadata.dc.type: doctoralThesis
Title: Análise do risco à atividade de cárie em crianças de 0 a 36 meses: protocolo de avaliação, acompanhamento longitudinal e efetividade de estratégias para controle da cárie na primeira infância.
Other Titles: Caries risk in children from 0 to 36 months of age: evaluation protocol, longitudinal follow-up and effectiveness of early childhood control strategies.
metadata.dc.creator: Krüger, Marta Silveira da Mota
metadata.dc.contributor.advisor1: Romano, Ana Regina
metadata.dc.description.resumo: A cárie dentária na primeira infância representa um problema de saúde pública em nosso país. Embora seja observada a superioridade de alguns métodos sobre outros para o controle dessa doença, as evidências ainda são limitadas. Assim, foi desenvolvido um scoping review para avaliar as evidências científicas registradas no período de 2002 a 2017 sobre métodos/estratégias para o controle da cárie na primeira infância. Foi verificado que, dentre os diversos métodos estudados (fluoretos, clorexidina, fluoreto de prata, xylitol, probióticos, selante, métodos nutricionais, educacionais, e métodos em conjunto), a inserção da criança em um programa com aconselhamento materno e/ou familiar sobre saúde geral, higiene bucal e dieta, enfatizando o acompanhamento periódico e o gerenciamento baseado na avaliação do risco demonstrou ser a estratégia que mais favoreceu o controle do risco e da doença cárie dentária na primeira infância. Foi descrito o protocolo para avaliação do risco à atividade de cárie utilizado no Projeto de Extensão atenção Odontológica materno-Infantil (AOMI) da FO-UFPel e analisado se algum parâmetro seria superior na identificação deste risco. Foi realizada uma análise transversal dos dados de prontuários de 476 crianças com dois anos de idade, conduzindo uma análise multivariada empregando a regressão de Poisson com variância robusta para estimar a razão de prevalência e intervalo de confiança (IC) de 95% e nível de significância de 5%. Após ajustes, pode-se observar que os parâmetros comportamentais (aleitamento noturno, consumo de sacarose superior a sete vezes por dia, início tardio da higiene bucal, ausência de participação familiar na higiene bucal, escolaridade materna inferior a oito anos de estudo, presença de biofilme bacteriano e autocuidado materno médio e ruim) foram mais importantes do que os fisiológicos (doença crônica, idade de irrupção do 1º molar decíduo, espaço interdental no arco e alteração dentária). Quando utilizado este mesmo protocolo, em avaliação longitudinal de dados de 344 crianças acompanhadas no projeto AOMI, do primeiro ao terceiro ano de vida, foi possível traçar a trajetória de risco a atividade de cárie destas crianças e verificar que, ao utilizar estratégias preventivas, foi possível manter a maioria das crianças dessa amostra (88,9%) em situação de saúde bucal ao longo de três anos. Na análise bivariada (Exato de Fischer) ficou evidenciado que a escolaridade materna >8 anos de estudo, a frequência de sacarose ≤ 7 vezes ao dia, a presença da participação familiar na higiene bucal do bebê, a presença de espaço interdental na arcada, a ausência de placa visível e o autocuidado materno bom/satisfatório tiveram uma relação significativa com a criança ter se mantido em condição de sem cárie e sem risco durante o período de avaliação. Esses achados reforçam a importância de inserção da crianças em um programa de saúde bucal e o gerenciamento baseado na avaliação do risco à atividade de cárie conduzido no projeto AOMI.
Abstract: Early childhood caries represents a public health problem in our country. Although the superiority of some methods over others to control this disease are observed, the evidence is still limited. Thus, a scoping review was developed to evaluate the scientific evidences registered in the period from 2002 to 2017 on methods/strategies to control early childhood caries. It was verified that, among the several methods studied (fluorides, chlorhexidine, silver fluoride, xylitol, probiotics, sealant, nutritional and educational methods, and methods together), the child insertion into a program with maternal and/or family counseling on general health, oral hygiene and diet, emphasizing periodic monitoring and management based on risk assessment proved to be the strategy that most favored the control of caries risk and early childhood dental caries. The protocol for assessing caries activity risk used in the Maternal and Child Dental Care Extension Project (AOMI) of FO-UFPel was described and was analyzed if any parameter would be superior in the identification of this risk. A cross-sectional analysis of medical records from 476 two-year-old children was carried out, conducting a multivariate analysis using Poisson regression with robust variance to estimate the prevalence ratio and 95% confidence interval (CI) and significance level of 5%. After adjustments, it can be observed that the behavioral parameters (nocturnal suckling, consumption of sucrose more than seven times a day, late beginning of oral hygiene, absence of family participation in oral hygiene, maternal schooling less than eight years of study, presence of bacterial biofilm and maternal and poor maternal self-care) were more important than the physiological ones (chronic disease, age of eruption of the 1st molar deciduous, interdental space in the arch and dental alteration). When using this same protocol, in a longitudinal evaluation data of 344 children followed up in the AOMI project from the first to the third year of life, it was possible to trace the risk trajectory of the caries activity of these children and to verify that, using preventive strategies, it was possible to maintain the majority of the children of this sample (88.9%) in oral health situation over three years. In the bivariate analysis (Fisher's exact) it was evidenced that maternal schooling> 8 years of schooling, sucrose frequency ≤ 7 times a day, presence of family participation in baby's oral hygiene, presence of interdental space in the arcade, absence of visible plaque and good/satisfactory maternal self-care had a significant relationship with the child having maintained a caries-free and risk-free condition during the evaluation period. These findings reinforce the importance of children insertion into an oral health program and management based on caries activity risk assessment conducted in the AOMI project.
Keywords: Saúde bucal
Cárie dentária
Risco
Criança
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA::ODONTOPEDIATRIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Pelotas
metadata.dc.publisher.initials: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Odontologia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Odontopediatria
Citation: KRÜGER, Marta Silveira da Mota. Análise do risco à atividade de cárie em crianças de 0 a 36 meses: protocolo de avaliação, acompanhamento longitudinal e efetividade de estratégias para controle da cárie na primeira infância. 2017. 98f. Tese (Doutorado em Odontopediatria) – Programa de Pós Graduação em Odontologia. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2017.
metadata.dc.rights: OpenAccess
URI: http://guaiaca.ufpel.edu.br:8080/handle/prefix/4245
Issue Date: 8-Dec-2017
Appears in Collections:PPGO: Dissertações e Teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Análise do risco a atividade de cárie em crianças.pdf3,57 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons